Brazilian Journal of Mammalogy

Foto por: Gabriela Rezende

Escopo e equipe editorial

Brazilian Journal of Mammalogy (BJM) é uma revista da Sociedade Brasileira de Mastozoologia (SBMz) onde são publicados artigos, notas e ensaios revisados por pares, sobre temas relacionados a mamíferos neotropicais. Resumos de teses, dissertações ou trabalhos de conclusão de curso defendidos/apresentados podem também ser enviados para publicação. São aceitos manuscritos em Português, Espanhol e Inglês.

SBMz é uma sociedade científica sem fins lucrativos, criada em 1985, com a missão de congregar, organizar e amparar profissionais, cientistas e alunos que atuam ou estão preocupados com as temáticas ligadas à pesquisa e conservação de mamíferos. Faz parte da Rede Latino-Americana de Mastozoologia (RELAM), que congrega pesquisadores de 12 países latino-americanos e do forum da International Federation of Mammalogists (IFM), além de cooperar com a Sociedade Brasileira de Zoologia e a Sociedade Brasileira para o Estudo de Quirópteros, dentre outras.

POLÍTICAS

O Brazilian Journal of Mammalogy (BJM) é uma revista brasileira de publicação contínua, com volumes anuais, dedicada ao conhecimento sobre mamíferos da região Neotropical. Publica resultados originais sobre todos os assuntos relacionados a sistemática, biologia, ecologia, e conservação de mamíferos atuais e fósseis.

TÓPICOS

  • Anatomia
  • Biogeografia
  • Comportamento
  • Conservação
  • Ecologia
  • Evolução
  • Fisiologia
  • Genética
  • Listas comentadas de espécies
  • Paleontologia
  • Taxonomia

PERIODICIDADE E ACESSO

Brazilian Journal of Mammalogy (BJM) é uma publicação contínua da Sociedade Brasileira de Mastozoologia (SBMz)com números anuais e números especiais. A versão impressa é distribuída para os sócios que optam por recebê-la, com figuras em preto e branco, e uma versão online, com todas as imagens nas cores originais, é disponibilizada para todos os sócios da SBMz e autores. Material suplementar online encontra-se disponível para os sócios no site da SBMz (https://sbmz.org/publicacoes/).

PROCESSO DE AVALIAÇÃO POR PARES

A avaliação é feita por pares, em processo de duplo-cego. O envio é feito por meio dos editores associados, após a análise dos editores da revista.

HISTÓRICO DA REVISTA

A revista foi criada em 1985 como um Boletim Informativo para os sócios da Sociedade Brasileira de Mastozoologia (SBMz). Em novembro de 1990, (Nº 14) foram divulgadas pela primeira vez as normas de submissão. Em 2004 passou a chamar-se Boletim da Sociedade Brasileira de Mastozoologia e ganha o ISSN. A partir de 2013, com o Nº 66, foi adotado o formato atual, com capa colorida e as seções encontradas atualmente. Foi composto um corpo editorial completo. As regras de submissão foram definidas e padronizadas desde então, com o sistema de duplo-cego para a emissão de pareceres. Desde 2015 são publicados números especiais a cada ano.

Comissão Editorial

Erika Hingst-Zaher

Pesquisadora do Instituto Butantan, seu campo de trabalho inclui zoologia e conservação, principalmente de mamíferos. É editora do periódico desde 1992.

Lena Geise

Professora titular da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, atua principalmente em zoologia e ecologia de pequenos mamíferos. É editora do periódico desde 2012.

Joelma Alves da Silva

Bibliotecária, sua área de trabalho envolve ciência dos dados e tecnologia e organização da informação. É editora executiva do periódico desde 2019.

Marcus Vinicius Brandão

Biólogo e doutorando pela Universidade de São Paulo, desenvolve estudos em taxonomia, sistemática, biogeografia e conservação de mamíferos, em especial os de pequeno porte (terrestres e voadores). É editor do periódico desde 2021.

Rui Cerqueira

Rui Cerqueira Silva

Professor titular da Universidade Federal do Rio de Janeiro, sua atuação é voltada o estudo da ecologia e zoologia de mamíferos. É fundador e associado honorário da SBMz, atuando nesta sociedade desde 1985.

Corpo Editorial

Alexandra M. R. Bezerra

Museu Paraense Emilio Goeldi (MPEG), Belém, PA, Brasil.

Amelia Chemisquy

Centro Regional de Investigaciones Científicas y de Transferencia Tecnológica de La Rioja (CRILAR), Anillaco, Argentina.

Diego Astúa

Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Recife, Pernambuco, Brasil.

Fabiano Rodrigues de Melo

Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiânia, Goiás, Brasil.

Gisele Lessa

Universidade Federal de Viçosa (UFV), Viçosa, Minas Gerais, Brasil.

Mauricio E. Graipel

Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Florianópolis, Santa Catarina, Brasil.

Rolar para cima