Mamíferos do Brasil

Foto por: Mattheus Torrezani Silveira

Comitê de Taxonomia

O Comitê de Taxonomia da Sociedade Brasileira de Mastozoologia (CT-SBMz) foi criado no mês de junho de 2020 como proposta da diretoria vigente, presidida pelo Dr. Alexandre R. Percequillo. Este comitê surgiu a partir do desejo desta diretoria em adotar uma atuação participativa junto à sociedade e disponibilizar aos nossos associados e ao público em geral uma lista atualizada das espécies de mamíferos ocorrentes no território brasileiro. Inicialmente, contamos com a colaboração de 10 pesquisadores que auxiliaram na elaboração da presente lista e irão trabalhar para mantê-la atualizada e cada vez mais completa. Pretendemos que no futuro próximo esta lista inclua também informações complementares para as espécies, como distribuição geográfica, dados ecológicos e status de conservação.

Edson F. de Abreu-Jr.

(USP)
Coordenador e colaborador para Rodentia e Lagomorpha

Flávia P. Tirelli

(UFRGS)
Colaboradora para Carnivora

Guilherme Garbino

(UFMG)
Colaborador para Primates

Maria Clara do Nascimento

(UFMG)
Colaboradora para Chiroptera

Miriam Marmontel

(IDSM)
Colaboradora para Cetartiodactyla e Sirenia

Márcio Oliveira

(UNESP)
Colaborador para Cetartiodactyla e Perissodactyla

Silvia E. Pavan

(MPEG)
Colaboradora para Didelphimorphia

Daniel Casali

(UFMG)
Colaborador para Cingulata e Pilosa

Ana Carolina Loss

(INMA)
Colaboradora para Rodentia

Diogo Loretto

(Bicho do Mato LTDA)
Colaborador para dados ecológicos das espécies

Lista de Mamíferos

Compõem a lista de mamíferos brasileiros espécies formalmente descritas e com registros confirmados no Brasil, através de espécimes testemunhos depositados em coleções científicas ou com registros de ocorrência documentados e publicados na literatura científica.

Critérios para inclusão de espécies na lista da SBMz:
Sempre que possível, o CT-SBMz se dedicará ao papel de compilação, apenas listando as espécies de mamíferos reconhecidas como válidas de acordo com os arranjos taxonômicos mais recentes envolvendo o táxon. Porém, quando estiverem disponíveis publicações recentes que apresentem posicionamentos conflitantes sobre a validade de determinado táxon, adotaremos a resolução sugerida pelos trabalhos de cunho taxonômico baseados em evidências geradas a partir de análises de dados, em detrimento de resoluções que não se baseiem em análises de dados ou que não apresentem tais dados. Em casos de estudos atuais com análises de dados e que apresentem resoluções conflitantes, adotaremos a resolução corroborada por linhas independentes de evidência (e.g. caracteres morfológicos, cariótipos e sequências de DNA), em detrimento de resoluções baseadas em menos linhas de evidência (e.g. dados exclusivamente morfológicos ou exclusivamente moleculares). Nos casos de conflitos, apresentaremos as hipóteses alternativas e a justificativa para a adoção de uma ou outra hipótese taxonômica por parte do Comitê. Estas justificativas serão fornecidas juntamente com a lista (em uma aba separada da planilha) na forma de notas taxonômicas. Os táxons que se enquadrem nesta situação serão identificados por letras sobrescritas.

Como citar essa lista:
Abreu EF, Casali DM, Garbino GST, Loretto D, Loss AC, Marmontel M, Nascimento MC, Oliveira ML, Pavan SE, Tirelli FP. 2020. Lista de Mamíferos do Brasil. Comitê de Taxonomia da Sociedade Brasileira de Mastozoologia (CT-SBMz). Disponível em: <https://www.sbmz.org/mamiferos-do-brasil/>. Acessado em:

(clique para ampliar)

Com base nessa compilação de dados, atualmente são reconhecidas 759 espécies de mamíferos com ocorrência confirmada no Brasil. As compilações anteriores e mais atuais — Lista Anotada dos Mamíferos do Brasil (Paglia et al., 2012), Catálogo Taxonômico da Fauna do Brasil (Percequillo & Gregorin, 2017) e Lista dos mamíferos recentes do Brasil (Quintela et al., 2020) — haviam contabilizado 701, 720 e 751 espécies, respectivamente. Portanto, a presente lista apresenta um incremento de oito espécies desde a última contagem. As espécies de mamíferos brasileiros estão organizadas em 11 ordens, 51 famílias e 249 gêneros. As ordens mais diversas são Rodentia, Chiroptera e Primates, com 263, 181 e 126 espécies, respectivamente. A ordem Perissodactyla é a menos diversa, com apenas uma espécie reconhecida para o território brasileiro. Dentre as famílias, Cricetidae é a mais diversa, com 148 espécies, e o gênero Callicebus é o mais diverso, com 23 espécies ocorrendo no Brasil.

Rolar para cima